NA FOTOGRAFIA, MENOS É MAIS

Quando estou em lugares em que vejo fotógrafos a trabalhar, observo a grande quantidade de equipamentos que usam em uma simples sessão de noivos. Já vi fotógrafos que usam strobs, refletores e câmaras com lentes 70-200 ao fazer fotos com uma grávida na praia. E o pior de tudo isso é que quando olhamos para o portfólio destes fotógrafos, as fotos não refletem a quantidade e qualidade do equipamento que usam (há muitas exceções, claro!).

Não estou aqui para dizer que você não deve comprar equipamento ou que não deve usar os que já possui. Quero dizer apenas, que devemos usar o mínimo de equipamento necessário para o que o trabalho exige. Você pode não acreditar, mas quanto menos equipamento você tiver que lidar, melhores serão os resultados. Basta ver o que o Zack Arias é capaz de fazer com uma única luz e câmara.

Fazer uma sessão de família com soft boxes gigantes não me parece uma boa opção. Dificilmente conseguirá fotos espontâneas ficando preso a um monte de equipamento e tendo que fazer varias configurações enquanto uma família que não têm costume de serem fotografadas o aguarda. Já se a sessão é de moda ou publicidade, talvez o material referido anteriormente seja mais apropriado que uma câmara com apenas uma lente 35mm; não que esse material não possa dar conta do recado se você sabe usá-lo ao máximo.

Muitos fotógrafos “profissionais” acabam por gastar milhares de euros em equipamentos totalmente desnecessários para o tipo de trabalho que fazem. Por exemplo, eu aprendi da pior forma. No início comprei algumas coisas que achava necessárias e com o tempo percebi que não tinha escolhido a melhor opção e acabei por vender alguns equipamentos.

Hoje, trabalho basicamente com uma câmara e duas lentes (50mm f/1.4 e 135mm f/2.0) e sinto que o meu trabalho evoluiu bastante pelo fato de ter que pensar mais nas minhas composições em vez de pensar em potencializar todo o material.

A simplicidade é o último degrau da sabedoria. Khalil Gibran